Páginas

quarta-feira, 7 de julho de 2010

O poeta não tem fim


Certa feita, Carlos Drummond de Andrade falou: "De todos nós, ele foi o único que viveu como Poeta". Com essa declaração o poeta gauche estava se referindo ao poetinha bon vivant Vinícius de Moraes, que nos disse adeus há 30 anos, a completar no próximo dia 9 de Julho.

Dizem que os poetas não morrem. E não morrem, os poetas são imortais e sua obra é a prova disso. Drummond, que o conhecia tão bem, falou que o poetinha "viveu sob o signo da paixão", então se assim ele viveu, isto é o que sentimos ao ler seus versos.

Vinícius era poeta, intelectual, mas antes de tudo um sonhador, e tinha o Amor e suas desventuras como mote principal. Quem nunca recitou um de seus sonetos  com o coração apertado ou não ouviu uma de suas canções com os olhos fechados que atire a primeira pedra. Se você atirou, então me desculpe, meu caro, pois "Como dizia o poeta"...

Quem já passou por essa vida e não viveu
Pode ser mais, mas sabe menos do que eu.
Porque a vida só se dá pra quem se deu
Pra quem amou, pra quem chorou, pra quem sofreu.
Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, não.
Nao há mal pior do que a descrença
Mesmo o amor que não compensa é melhor que a solidão.
Abre os teus braços, meu irmão, deixa cair
Pra que somar se a gente pode dividir.
Eu francamente já não quero nem saber
De quem não vai porque tem medo de sofrer
Ai de quem não rasga o coração, esse não vai ter perdão.

(Composição: Vinícus de Moraes/ Toquinho)


E eu repito:
Ah, quem nunca curtiu uma paixão nunca vai ter nada, não.

2 comentários:

  1. Na dor e no amor, a gente vira poeta. Felizes são eles, que passam a vida (a deles e a dos outros) no encantamento puro.

    Lindo, lindo! ^^

    Beijos.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  2. o intérprete é a alma do poema, da música, de toda arte

    [nós todos somos a alma de tudo isso]

    beijos

    Eliana

    ResponderExcluir