Páginas

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

E se eu quiser desistir dos meus sonhos?


Há uma frase muito repetida e que para mim é um clichê chato e piegas. "Nunca desista dos seus sonhos" - acho essa frase/conselho, que sempre surge nas horas que menos quero ouvi-la, de uma tremenda ingenuidade ou até mesmo de muita falta do que dizer.

A bendita frase/conselho, que é título de uma famoso livro de auto-ajuda, me remete ao filme "Á procura da felicidade", que fala do pai que, para não desistir dos seus sonhos, arrebentou com sua vida de casado, fez seu filho dormir em banheiro de estação de trem, se fez passar por alguém que não era, somente para agradar pessoas de classe social mais alta do que  a dele, etc e fez milhões de pessoas chorar nas salas de cinema e acreditar que vale tudo para ser rico, até mesmo separar da mãe o próprio filho.

E se eu quiser desistir dos meus sonhos, então serei uma fraca? Serei uma descrente? Não sei. Sei apenas que é sempre salutar reavaliarmos aquilo que desejamos. E se o que sonhei, 15 anos atrás, para minha vida atual não aconteceu, eu devo me frustrar e chorar pitangas (tá, vai. Chorar só um pouquinho faz bem) ou fazer o impossível para realizar o sonho ainda que para isso eu passe por cima de alguém? Tudo para não quebrar o famoso preceito de "Nunca, never more, desistir dos meus sonhos".

Nenhuma das opções. Não sou de acordo com essa alienação, pois para mim sonhos devem ser reformulados, reinventados, re-sonhados. É certo que devemos fazer uma forcinha para que se realizem, mas sofrer e acreditar que a felicidade só estará ao meu favor se o danado do sonho se realizar do mesmo jeitinho que sonhei zil anos atrás, isso não é mesmo comigo.

Eu desisto dos meus sonhos se percebo que me equivoquei, desisto se percebo que vou prejudicar alguém, desisto dos meus sonhos porque eu tenho uma capacidade infinita de Sonhar. Apanho sonhos e vou filtrando.


Imagem: Sonhada algures na web.

6 comentários:

  1. Falou bonito Margot, falou a verdade. Sonhos são para serem sonhados, sentidos, esperados e depois como vc mesmo disse, reinventados. Amo sonhar, e ter outra ideia melhor e sonhar por cima. Sabe como é, a gente vai se aperfeiçoando com o passar do tempo.

    Beijos
    Ly

    ResponderExcluir
  2. Concordo contigo,Margo. Apesar de ter gostado do filme 'Em busca da felicidade' (olha o nome...), confesso que nem chorei, nem defendo a ideia de morrer ou matar por um sonho. Ainda mais se pensarmos que com o passar do tempo, aquilo que era sonho, se torna até uma bobagem e novos sonhos que não eram nem mesmo imaginados no passado, passam a existir (como vc falou).

    ResponderExcluir
  3. Mariana Tomaz13/08/2010 14:33

    Gostei do texto. Nunca tinha percebido o filme desse modo.. nem lembro bem da historia, mas como vc falou ta me parecendo bem terrivel mesmo ehehhe
    E sou contra toda e qualquer obstinação cega que va prejudicar alguem, principalmente sendo uma terceira pessoa!!!

    ResponderExcluir
  4. Concordo plenamente! Essa história de "nunca desista" só pode ter saído de um livro de auto-ajuda... eu odeio auto-ajuda, porque por mais que você esteja bem, ela sempre tenta te convencer que existe algo errado! Adorei seu blog!!!

    ResponderExcluir
  5. Fomos criados através da TV para acreditar que um dia seríamos milionários e estrelas do rock. Mas não seremos. Aos poucos tomamos consciência do fato. E estamos ficando muito, muito putos" (Tyler Durden em "O Clube da Luta")

    ResponderExcluir