Páginas

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

A pausa


“A vida necessita de pausas”. Foi seguindo o conselho do sempre assertivo Drummond que num dia de nuvens escuras eu me permiti dar uma pausa e desacelerar.

Reservei um tempinho e fui fazer uma pequena caminhada no parque, depois estendi uma toalha na grama. Abri um livro que levei comigo, mas não consegui me concentrar. Levantei os olhos e vi três passarinhos a bicar algum resto de comida que alguém deixara em cima de um banco. Tentei conciliar a leitura, mas pensei que não havia solução a não ser fechar o livro - que àquela altura nada tinha a me dizer – e usufruir daquela tarde silenciosa que eu pouco havia parado para escutar.

Repousei meu corpo na toalha e senti o frescor da grama que havia sido molhada pela neblina da noite anterior. Estirei minhas pernas, que só nesse momento constatei o quanto estavam tensas. Apoiei a cabeça nas mãos e fechei os olhos. Ali era somente eu e eu... e alguns passarinhos por perto.

O silêncio não era completo, pois se ouviam gritos de crianças ao longe, o ir e vir dos carros lá fora, o soprar do vento por entre as árvores e, também, os pássaros. Mas aos poucos consegui me desvencilhar de tudo e nas pausas desses tais ruídos pude ouvir atentamente o silêncio, num breve momento pude escutar o meu Silêncio.

Não era necessário pensar, refletir, analisar, tampouco orar. Ali, naquele instante, eu estava comungando com algo tão forte que não sei explicar. Nem pretendo fazê-lo.

Abri os olhos e vi com toda clareza que aquelas nuvens escuras e pesadas haviam se dissipado e o Sol estava mesmo ali, aquecendo meu corpo estendido na grama verdinha. As pernas estavam leves, o coração estava leve.

Até senti preguiça de levantar, mas precisava ir, pois aquela era somente uma pausa. A pausa que restaurou um dia.

Imagem: Web

6 comentários:

  1. Ai que gostoso.. imagino o qto deve ter sido relaxante.. Todos nós precisamos de pausas.

    Mto legal o post! Bjs!

    ResponderExcluir
  2. Amiga

    Antes de tudo, admiro muito a sua coragem. Ultimamente ando tão assustada, que jamais eu conseguiria tirar uma pausa dessas, apesar de ter muita vontade.Mas a grama coça não coça???hahahahaha...
    Preciso muito de uma Pausa... Me convida da próxima vez..

    Saudades

    Bjos

    Lydinha

    ResponderExcluir
  3. Tens toda razão!

    Pausa para respirar... sorrir, refletir,viver...

    to precisando disso, viu...

    bj

    ResponderExcluir
  4. Nossa, e como isso faz diferença, revigora! =)

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  5. Brindando teu momento zen com um Haikai:

    Quietude
    O barulho do pássaro
    Pisando em folhas secas.

    Ryushi

    ResponderExcluir
  6. Andréa, foi mais do que relaxante. =)
    Bjos, querida!

    *
    Lydinha, não senti a grama coçar, ela tava tão fresquinha. E já está convidada para a próxima.
    Bjos, menina sumida!

    *
    Déia, não existe nada mais relaxante do que observar pássaros, já experimentou?!
    =)

    *
    Luna, é medicinal! Eu garanto. rs
    Bjos, guria!

    *
    Que haikai lindo, Magnólia. Eu sei que você sabia que eu ia gostar. rs
    Um beijo, minha irmã zen!

    ResponderExcluir