Páginas

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Sete-Sóis e Sete-Luas

A Literatura tem dessas facetas, lemos um livro e, irremediavelmente, nos apaixonamos por seus personagens.

Acabo de ler “Memorial do Convento”, romance histórico de José Saramago e fiquei enamorada por Baltasar Sete-Sóis e Blimunda Sete-Luas.

Baltasar Mateus, de alcunha Sete-Sóis, é o homem de modos simples que regressou da guerra, onde deixou sua mão esquerda. E por ser maneta, tornou-se inábil para o trabalho, ficando, assim, largado à própria sorte. Blimunda de Jesus, Sete-Luas porque vê dentro das pessoas. É a mulher obstinada que abriga dentro de si a lealdade e fidelidade pelo homem que encontrou no momento e da forma mais improvável: num auto-de-fé onde sua mãe estava sendo julgada por bruxaria pela Inquisição.

O amor entre esse “casal ilegítimo por sua própria vontade”, deu-se já com a primeira troca de olhares.

"Que nome é o seu, e o homem disse, naturalmente, assim reconhecendo o direito de esta mulher lhe fazer perguntas, Baltasar Mateus, também me chamam Sete-Sóis."

“Fica, enquanto não fores, será sempre tempo de partires, Por que queres tu que eu fique, Porque é preciso, Não é razão que me convença, Se não quiseres ficar, vai-te embora, não te posso obrigar, Não tenho forças que me levem daqui, deitaste-me um encanto, Não deitei tal, não disse uma palavra, não te toquei, Olhaste-me por dentro, Juro que nunca te olharei por dentro, Juras que não o farás e já o fizeste, Não sabes de que estás a falar, não te olhei por dentro, Se eu ficar, onde durmo, Comigo.”

Sei que esse romance genial é muito mais do que essa simples história de amor e cumplicidade. Porém, buscar a leveza das coisas também é legítimo e eu deliciei-me com esse casal e a força que os uniu até o fim. Se é que teve fim!

Recomendo (muitíssimo):

5 comentários:

  1. Nada melhor e mais inspirador que o amor de Sete-Sois e Sete-Luas para convidar a uma leitura do Memorial

    Baltasar é o sonho.

    Blimunda é a Magia.

    E Domenico, o Senhor Escarlate, é a música.



    http://www.youtube.com/watch?v=2IYrxUhqBYw

    Domenico Scarlati - Sonata K 151

    ResponderExcluir
  2. Uhun, e os personagens passam a existir em e por nós. Não é lindo isso? =)

    Beijos.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  3. Não há considerações a fazer sobre a literatura de saramago, tá tudo lá. Sobre este blog sim: Um espaço sempre encantador.

    ResponderExcluir
  4. Margot, especialmente para você que adora de gatos:
    OS MEUS, OS SEUS, OS NOSSOS GATOS
    "Gateiro é gateiro, e só quem é gateiro entende outro gateiro. Impressionante a cumplicidade que esses serezinhos peludos e manhosos geram entre as pessoas. E, quando a gente menos espera, lá vem um conhecido que também é apaixonado por esses bichanos assumir a cumplicidade. E olha, nem muita coisa precisa ser dita: logo sabemos que aquela pessoa é do bem. Os amantes dos gatos não têm sede própria,nem encontros programados. Apenas compartilham de alguns segredos que só quem é gateiro consegue identificar. Mas também não são exibidos. Seus gatos são de casa e, por ser assim, é difícil expor as habilidades felinas mundo afora. Então,como um código universal, acabamos entendendo em simples conversas intimistas os significados dos milhares de tons de ronronados e miados que nossos alvos de adoração emitem.
    Mas eu também acredito piamente que, ao contrário da relação com os cães, em que o ser humano é o superior, quem está no topo da pirâmide são os gatos - são eles que dominam de longe os seus donos e acabam fazendo com que se cruzem. Eles, sim, sabem dos códigos e dos mistérios da vida e acabam escolhendo os membros ou os privilegiados que podem desfrutar de alguns poucos de seus segredos e, de uma forma singular, tramam as teias e conduzem um gateiro à via de outro gateiro"
    Texto extraído da Revista ALMANAQUE GATOS & RAÇAS 2010, da ON LINE EDITORA
    www.revistaonline.com.br

    ResponderExcluir
  5. Miguel, quando compôs essas música Scarlatti nem desconfiava que seria para 7 Sóis e 7 Luas. Cai como uma luva! Obrigada, querido.

    ***
    Luna, e as histórias se confudem, sim? ;)

    Bjos, guria!

    ***
    Luiz, muito obrigada por sua presença. Amei o textinho sobre os bichanos. Em breve vou postá-lo por aqui.

    Um abraço!

    ResponderExcluir