Páginas

domingo, 30 de maio de 2010

sábado, 29 de maio de 2010

Tudo nos conformes


Mexe daqui, mexe dacolá terminei encontrando uma solução para o defeito de configuração no meu blog. Agora está tudo nos conformes e acredito que estou começando a compreender a lógica desse negócio. E como diria um velho ditado: É morrendo e aprendendo.

Agora, para relaxar a cabeça, vou sair da frente desse pc e vou ver um filminho, porque também sou filha de Deus.

Agradeço àqueles que aguentaram minhas agonias.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Bug e outras presepadas




Mal começo a escrever um blog e lá surgem os bugs e presepadas. Não sei bem o que acontece, mas faz alguns dias que esse blog está apresentando um defeito no mínimo misterioso - mistério para quem não entende do assunto como eu, claro. Às vezes até desconfio que essas coisas têm vida própria e isso me tira a paciência.

Porém, hoje descobri, com o auxílio de uma amiga blogueira, que o conteúdo do meu "compartimento" só é possível ser visto com o navegador Fire Fox (não é propaganda) e  com o Internet Explorer (também não é propaganda) o conteúdo aparece desconfigurado. O que fazer? Ainda não sei. Se por acaso alguém souber o que é esse defeito, por favor se manifeste e faça o favor de me ajudar, please!

Enquanto isso vou postando e espero que as coisas se normalizem o quanto antes.

PS: Agradeço de coração aos que já quebraram a cabeça comigo nessa empreitada.

domingo, 23 de maio de 2010

Receita de entender a alma de um gato


Ponha o seu gato no colo
mergulhe em seus olhos oblíquos
e como se fossem veleiros
solte o corpo inteiro
navegue em seus mistérios.

Roseana Murray
In: Receitas de olhar


Foto: Margot Félix

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Quinta no Parque


Hoje acordei com uma vontade imensa de fazer algo diferente, então convidei uma amiga para irmos a um parque. Fomos ao parque, estendemos uma toalha na grama verdinha e numa espécie de picnic e num bate-papo tranquilo e descompromissado passamos a tarde à sombra de uma árvore. Ouvimos pássaros e sentimos a brisa. Rimos e brincamos com os gatinhos que vivem por lá. Tomamos sorvete e tiramos fotos.
 
Também conhecemos um menino de 8 anos chamado Ítalo, que passeava pelas alamedas enquanto seus pais por ali caminhavam. Ítalo me pareceu um menino esperto e na verdade é. Ele nos abordou para uma conversa e nos pegou de surpresa. Enquanto subia em árvores e saltitava feito um passarinho, nos questionou por que ali estávamos e o que conversávamos. Ficamos espantadas com seu desembaraço. Mas o menino serelepe que surgiu do nada também desapareceu do nada.

Teria Ítalo pensado que duas adultas não poderiam dar-se ao desfrute de estarem num parque àquela hora e naquele dia da semana? Não sei o quê Ítalo pensou. Acho até que ele nada pensou. As crianças sempre estão isentas de julgamentos, pois elas se permitem ser livres.

Foto: Margot Félix

segunda-feira, 17 de maio de 2010

O que fazer?

                            


O que fazer quando sua gata resolve adormecer em cima da roupa que você vai sair?

Resposta única:

Esperar, pacientemente, até que ela acorde.


Foto: Margot Félix

domingo, 16 de maio de 2010

Sim

Textos, poemas ou fragmentos de diversos escritores e poetas que, a partir de hoje, postarei aos domingos na sessão que nomeei de “Escola Dominical”.


Sim

Eu disse a uma amiga:
-A vida sempre superexigiu de mim.
Ela disse:
-Mas lembre-se de que você também superexige da vida.
Sim.

Clarice Lispector
In: Aprendendo a Viver

domingo, 9 de maio de 2010

Mãos



Mãos que tecem/ destras
 Mãos que afagam/ acalentadoras
 Mãos que doam/ generosas
Mãos que agem/ rigorosas
Mãos de fada/ Mãos de Mãe


Foto: Margot Félix

terça-feira, 4 de maio de 2010

O Perfume

A propósito dos aromas do post anterior, deixo aqui um textinho que escrevi uns anos atrás quando da estréia do filme "O Perfume" - (2007).



O Perfume - A história de um assassino.

A notícia da adaptação do livro "O Perfume - A história de um assassino" de Patrick Süskind, para o cinema, deixou seus leitores com um pouco de receio. Pois a pergunta era: como Tom Tywer (diretor alemão de “Corra Lola, corra” - 1998) conseguirá trazer para a tela a rica experiência olfativa que vivenciamos ao ler o livro?

Jean-Baptiste Grinouille nasceu num dos recantos mais fétidos da França do século XVIII, logo foi abandonado por sua mãe embaixo de um banco de feira de peixes. Viveu 13 anos num orfanato, sendo constantemente execrado por seus colegas, até que foi vendido ao dono de um curtume. De modo que permaneceu vivendo como um ser sem presença. Contudo, ele já havia apurado bastante o seu olfato, embora até aquele momento só tivesse conhecido péssimos odores. Até que um dia, guiado por seu nariz, ele passou em frente a uma perfumaria e teve sua primeira experiência com um aroma delicado.

Nessa perfumaria Grinouille encontrou o experiente perfumista Baldini. Sentindo que ali haveria chance de pôr em prática tudo que viera aprendendo sozinho ao longo dos anos, Grinouille pediu emprego ao mestre perfumista, prometendo-lhe criar o melhor perfume do mundo. Mas isso não tranquilizou sua inquietação, pois seu maior desejo era conseguir capturar para sempre todos os aromas e dali fazer o melhor perfume que já existiu, uma essência arrebatadora, o perfume que pudesse atrair a atenção de todos somente para si.

Grinouille sai pelo mundo em busca de sua pedra filosofal, e a partir daí a história torna-se vertiginosamente sensual. O clima noir dá espaço a um ambiente de seduções e perversões. Pois Grinouille nunca conseguiu amar e muito menos ser amado, justamente por não exalar nenhum tipo de odor. E foi pela ausência de amor, que ele passou a extrair de suas vítimas o óleo essencial para a confecção do “Perfume”. O Perfume que causaria o antropofágico fim de sua vida.

Respondendo a pergunta: a experiência olfativa que vivemos ao ler o livro também pode ser vivenciada ao ver o filme, mas também é possível apurar a audição e a visão, pois a música e a fotografia são tão envolventes e bem elaboradas quanto o livro genial de Patrick Süskind.

Veja o filme, mas procure ler o livro e sinta bons aromas!

Por Margareth Félix - 10/02/2007