Páginas

domingo, 5 de junho de 2011

Amor Feinho


                                   Eu quero amor feinho.
                                   Amor feinho não olha um pro outro.
                                   Uma vez encontrado é igual fé,
                                   não teologa mais.
                                   Duro de forte o amor feinho é magro, doido por sexo
                                   e filhos tem os quanto haja.
                                   Tudo que não fala, faz.
                                   Planta beijo de três cores ao redor da casa
                                   e saudade roxa e branca,
                                   da comum e da dobrada.
                                   Amor feinho é bom porque não fica velho.
                                   Cuida do essencial; o que brilha nos olhos é o que é:
                                   eu sou homem você é mulher.
                                   Amor feinho não tem ilusão,
                                   o que ele tem é esperança:
                                   eu quero amor feinho.

Adélia Prado
In: Bagagem - 1976

Imagem: Web

8 comentários:

  1. "Amor feínho não tem ilusão,
    o que ele tem é esperança..."

    O poema é forte e a imagem, embora suave e de belo contraste, merece-o.

    Um Beijo

    ResponderExcluir
  2. Bonita mansagem, justifica a esperança!
    #éoamorrr...
    =)
    Bjoo!

    ResponderExcluir
  3. Ai que linda essa Adélia. Ela que tinha uma casa constantemente amanhecendo por ser amarela e que limpa os peixes que o marido pesca. É uma doida das antigas essa Adélia.
    Que boa lembrança que vc me deu. Corro pra estante pegar a Adélia. E a Cora também. E a Meireles também.
    Bj

    ResponderExcluir
  4. Quem não quer, não eh mesmo!!!!
    Amei o poema! Lindíssimo e cheio de sentimentos.
    Bju =)

    ResponderExcluir
  5. Parece amor ingênuo, mas só as primeiras 4 linhas já justificariam o resto. Amei!
    Semana dos namorados começando, dá vontade de falar só de amor, eu como vou meio na contramão, postei hoje sobre almas gêmeas, mas a real, e nao a que todo mundo sonha :<

    ResponderExcluir
  6. O Amor que Adélia revela em seus poemas, é forte, mas também singelo. É ingênuo, mas também erótico. É o Amor em suas mais variadas facetas. Adélia é uma bruxinha!

    Um abraço e um beijo a todos vocês!

    ResponderExcluir
  7. Olá, Margot!!

    Fiz umas andanças em seu blog e gostei de tudo!!Afinal,é esta a minha praia, aliás nossa!! A Adélia é isso aí-o amor em palavras!! As palavras são singelas, mas quanta reflexão entre as linhas!! O Poema " Casamento" mostra bem as verdades de Adélia- eu-poético e pessoa! Idem no poema "Corridinho", entre outros. Bjs, sucessos! Diana.

    ResponderExcluir
  8. Olá, Diana. Esteja sempre à vontade com suas andanças. O Compartimento é nosso! =)

    Bjos!

    ResponderExcluir