Páginas

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Minhas tardes com Margueritte

Quem gosta de ler deve lembrar qual a pessoa que o conduziu ao caminho dos livros e da leitura. Alguns têm essa experiência ainda na infância, outros somente na fase adulta. Às vezes, a descoberta tardia tem um gosto especial, como retrata o belíssimo filme de Jean Becker - Minhas tardes com Margueritte (2011)


Num pequeno vilarejo da França, Germain Chazes, um rude vendedor de hortaliças passava suas tardes livres num café, a jogar conversa fora com amigos ou numa praça a dar milho ao pombos. Foi numa dessas tardes ociosas, junto aos pombos, que Germain conheceu a solitária Margueritte - uma graciosa senhora de idade que rapidamente o abordou para uma conversa.

 Logo Margueritte descobriu que Germain não sabia ler com fluência, contudo possuía uma percepção muito sensível da vida. A partir dali, todas as tardes, Margueritte levava um livro e lia alguns capítulos em voz alta. Depois oferecia para que ele o lesse sozinho. A princípio, por timidez ou insegurança, Germain se recusava a fazer as leituras, mas aos poucos sentiu-se atraído pelos livros e pela descoberta que aqueles textos traziam para seu dia-a-dia. Com a leitura, e o emaranhado de novas palavras, Germain aprendeu a ver o mundo com outros olhos e a sensibilidade que estava bem guardade dentro de si começou a aflorar.


Além dos livros, Margueritte ofereceu a amizade e o carinho que um homem, embrutecido pelas circunstâncias da vida, merece para renascer e tornar-se um ser autoconfiante e feliz. E Germain retribuiu essa amizade com sua companhia simples, porém fiel.


É um filme despretensioso e poético. Terminei de vê-lo com os olhos rasos d'água e um desejo enorme de que haja muitas Marguerittes conduzindo Germains para os caminhos da boa leitura.


Veja o trailer aqui


11 comentários:

  1. Não vi ainda. Vou vê-lo mas já sabendo que vou chorar rsrsrs
    Valeu a dica.
    Bjux

    ResponderExcluir
  2. Oi Margot!

    Curioso, eu não me lembro quem me aprsentou aos livros. Acho que comigo foi um lance frio, de escola mesmo. Aliás, até os 30 anos mais ou menos nunca me interessei em ler livros e acredito que isso deve-se ao fato de terem me apresentado a leitura como algo chato e massante. Eu era obrigada a ler aqueles livros (que eu cnsiderava) chatos para fazer prova depois. Na verdade, 90% eu não lia, pois colava na prova! Olha o naipe da menina!!! rsrs

    Mas hoje em dia, por mim mesma, estou descobrindo livros muito bons, inclusive fui conhecer a loja Fnac e adorei algumas obras que vi por lá.
    Ler é muito bom!
    Pena que descobri isso muito tarde.
    Mas, antes tarde do que nunca!

    Bjs querida.
    Esse filme deve ser lindo mesmo!

    ResponderExcluir
  3. Meu gosto por ler e escrever foi alimentado pelo meu pai, desde sempre. É uma das tantas dívidas que tenho com ele.

    Vou clicar e assistir porque teu relato me deixou curiosa.

    =)

    Beijo grande!

    ResponderExcluir
  4. Ai que bonito! Quero assistir, será que tem em locadora? Dificil ne? =*

    ResponderExcluir
  5. Bem...no caso tu foi minha Margueritte né? Literalmente literariamente! rsrs

    BJo!

    ResponderExcluir
  6. Não quero perder.Deve ser lindo!beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  7. A maneira que discorreu a legenda do filme, se duvidar, foi mais bonita que o próprio filme hehe mas nao duvidei em nenhum momento que o filme nao seja bom, pelo contrário.
    Vou procurar para baixar...


    Beijosss querida!

    ResponderExcluir
  8. Deve ser muito emocionante mesmo, Margot! Eu adoro ler, me envolvo.. não posso perder. Já está na minha lista de leituras para as férias (sim, pq as leituras da faculdade me consooomem).
    Bjokas!!! =)

    ResponderExcluir
  9. Deu vontade de ver...tö meio cansada do Depardieu, mas acho que a senhorinha dever ser uma fofa, a v[o que eu queria ter tido!
    Baccio

    Ps...sua presença sempre ilustra meu bróguinho, gracias.

    PS2...trocou a foto, ficou legal.

    ResponderExcluir
  10. Wanderley, eu chorei, sobretudo no final. =)

    *
    Flávia, todo tempo é bom para começar a ler e se apaixonar pelos livros. Tua trajetória de leitora é muito comum. As escolas não dão tanto suporte aos estudantes, infelizmente.

    Bjos!

    *
    Luna, eu sempre via meu pai com um livro, jornal ou revista. Isso, com certeza, me incentivou à ler.

    Beijo!

    *
    Xô, não sei se já está em locadora, mas vai chegar. =)

    ResponderExcluir
  11. Magnólia, hoje os papéis se invertem, você quem me fornece os 'livrenhos', né? ;)

    Bjo!

    *
    Chica, é lindo, você vai gostar!

    *
    C., veja mesmo. É joia!

    Bju!

    *
    Aline, sim, ler envolve e esse filme também é ótimo para mergulhar. =)

    *
    La, é verdade, Depardieu já não é novidade, mas essa senhorinha é uma lindezinha.
    Baccio! =)

    ResponderExcluir