Páginas

domingo, 1 de janeiro de 2012

Nascer

Nascer
outra e outra vez
indefinidamente
como a planta sempre nascendo
da primeira semente;
pensar o dia bom
até criar a claridade
e nela descobrir
a primeira sílaba
da primeira canção.



Carlos Drummond de Andrade
In: Poesia Errante - 1988

Om!

3 comentários:

  1. Passando aqui, nesse primeiro dia de 2012, somente para desejar todo amor, paz e alegria desse mundo pra você!!!!

    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Que bonito esse poema do Drummond! Que neste novo ano todos possamos ter olhos para a claridade e ouvidos despertos para essa canção sempre renascida que é a vida.

    Feliz 2012 Margot!

    Mil beijinhos

    ResponderExcluir
  3. lindo - obrigada! sensibilidade para este começo de ano.


    querida,
    felicidade clandestina e o reino estão aqui: http://www.facebook.com/profile.php?id=100003308320359&sk=wall

    será bem vinda lá :)

    ResponderExcluir