Páginas

domingo, 26 de fevereiro de 2012

A Noite da Revolta

A propósito da festa do Oscar, logo mais, dedico esse post a todos os casais que amam cinema!



- Minha velha, está na hora de tomar o comprimido para dormir.
- Mas eu não quero dormir. Tem um filme na televisão que queria ver.
- Acho melhor você não ficar acordada. Pode não gostar do filme e depois passa a noite em claro.
- Não. Você tome o seu comprimido e eu prefiro ficar acordada.
- Mas eu não sei tomar o meu comprimido sem você tomar o seu. Acho que não vou dormir se tomar o comprimido sozinho.
- Experimente, Artur. Só esta noite.
- Estamos tão acostumados que, se os dois comprimidos não forem tomados juntos, acho que não faz efeito.
- Ah, Artur, você é a cruz da minha vida. Será possível que eu não possa nem ao menos rever um filme de Cary Grant?
- Estou te estranhando, Lindaura. Nunca pensei que você tivesse paixão por esse Cary Grant.
- Muito bonito, cena de ciúmes a essa altura da vida. Trinta e oito anos de fidelidade, e você me vem com uma coisa dessas. Você se esquece que, quando a Ginger Rogers passou o carnaval no Rio, o seu assanhamento não teve limites. Não sossegou enquanto não pediu a ela um autógrafo e Deus sabe o que mais.
- Nunca tive nada com a Gingers Rogers. Juro!
- Não teve porque ela não deu bola. Quer saber de uma coisa, Artur? Você diz que o seu comprimido sozinho não faz efeito. Então, tome também o meu. Tome os dois, tome cinco ou dez, e me deixe em paz curtindo o meu Cary Grant!

Carlos Drummond de Andrade
In: Histórias para o Rei

Na foto: Cary Grant

7 comentários:

  1. rs...Maravilha de texto.Adorei! beijos,chica

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pela gargalhada que me arrancou!
    Beijinho

    ResponderExcluir
  3. O Drummond, além de um poeta maravilhoso, era de uma ironia incrível!!!
    Excelente postagem, Margot!
    Um belo domingo pra ti.

    beijos

    ResponderExcluir
  4. O verdadeiro Grito do Ipiranga!!

    ResponderExcluir
  5. Cristiane Vieira27/02/2012 17:03

    KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. Essa foi ótima, Margô!!!
    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Gosto da ideia de contraste que existe nesse conto - o glamour de uma certa época do cinema norte-americano X a vida corriqueira e cotidiana de um casal.

    Um abraço a todos! :)

    ResponderExcluir
  7. Olá, Margot!!Adorei o texto!!Drummond é minha Clarice de calças!!adoro os dois sem reservas rsrsr!!Quanto ao casal do texto-isso acontece em casas e com casais que nem imaginamos rsrsr!!Talvez mude o ator, mas a essência drummoniana não bjs.

    Em tempo, coincidentemente, postei a receita de bem-casados rsrsr!!

    ResponderExcluir