Páginas

domingo, 28 de abril de 2013

Os livros

"os livros que em nossa vida entraram são como a radiação de um corpo negro apontando pra a expansão do Universo porque a frase, o conceito, o enredo, o verso (e, sem dúvida, sobretudo o verso) é o que pode lançar mundos no mundo."

Caetano Veloso
'Livro'






















Imagem: Evelien Deconinck

terça-feira, 16 de abril de 2013

Aniversário do Blog - 3 anos

Hoje o 'Compartimento Secreto' completa 3 anos!

Colecionar 'Coisas Pequenas' sempre foi minha intenção quando criei esse blog, e continuo com este propósito. Mas, entretanto, me apaixonei por algo que trouxe um novo significado para meu mundo pessoal, para os compartimentos secretos de mim mesma - a fotografia. Por isso, se não estou tão assídua com as postagens é, a meu ver, por uma causa justa. A tentativa, agora, é colecionar as pequenas coisas fotografadas por mim!

Quero agradecer a todos que sempre visitam o 'Compartimento Secreto para Coisas Pequenas'. Alguns abrem as gavetinhas deste blog desde o comecinho, outros acabaram de chegar. A todos deixo meu mais carinhoso abraço!!!

Para visitar minha página, clique na foto.
E para conhecer o blog, clique no link abaixo:

http://palavrasquenosfaltam.blogspot.com.br



Luz e Paz, sempre!

sábado, 13 de abril de 2013

Eu queria fazer parte das árvores...


Eu queria fazer parte das árvores como os
pássaros fazem.
Eu queria fazer parte do orvalho como as
pedras fazem.
Eu só não queria significar
Porque significar limita a imaginação.
E com pouca imaginação eu não poderia
fazer parte de uma árvore
Como os pássaros fazem.
Então a razão me falou: o homem não
pode fazer parte do orvalho como as pedras 
fazem.
Porque o homem não se transfigura senão
pelas palavras.
E isso era mesmo.

Manoel de Barros - 
'Menino do Mato' (2010)

quarta-feira, 10 de abril de 2013

Uma obra, uma árvore e um desfecho ruim

Pareço legal, mas sou dessas que anda pelo mundo observando as mudanças que ocorrem na paisagem (e não só) da minha cidade e adjacências. 

Recentemente notei que havia obras a uma residência num dos setores mais centrais da cidade. A casa estava sendo demolida mas a grande árvore continuava em pé.

Assim, sempre que eu por ali passava dava uma olhada nos tapumes da obra e na copa da árvore que abraçava boa parte do terreno. 

Passei 1 mês fora e quando regressei tive uma infeliz surpresa. As obras estavam concluídas, ali estava erquida uma moderna clínica médica particular. E a árvore? Certamente feita em pedaços, pois no lugar dela agora vejo um estacionamento exclusivo para clientes. Uma árvore frondosa, cheia de vida, deu lugar a uma calçada de cimento.
Fiquei perplexa. Então do que serve um edifício moderno (de gosto duvidoso) se a árvore que queria tão somente ser árvore não está mais de pé?

Quão estúpido pode ser o ser humano?